CIC e CDL de Garibaldi assinam documento pedindo a abertura do comércio e serviços no sábado de Páscoa

A CIC e a CDL integram o movimento liderado pela Federasul, juntamente com associações de municípios, enviou ao Governo do Estado na manhã de quinta-feira (1º), pedido para que seja liberado o funcionamento das atividades […]


Publicado por Felipe Vicari

há 3 semanas atrás

Compartilhar

A CIC e a CDL integram o movimento liderado pela Federasul, juntamente com associações de municípios, enviou ao Governo do Estado na manhã de quinta-feira (1º), pedido para que seja liberado o funcionamento das atividades “não essenciais” no sábado de Páscoa.

Na solicitação, o documento sugere alterações nas medidas sanitárias extraordinárias para fins de prevenção e de enfrentamento à pandemia relativa ao novo Coronavírus (COVID-19), visando a minimizar os efeitos da grave crise econômica que diversos setores estão enfrentando.

Um ofício semelhante já havia sido encaminhado ao governador pelas entidades empresariais no dia 26 de março, de modo a possibilitar o exercício das atividades econômicas já no período do feriado de Páscoa, pleito que foi acompanhado por manifestações que demonstram a preocupação com o agravamento da situação econômica.

Diante da ausência de resposta, até o momento, esta nova solicitação destaca a urgência da medida, a fim de permitir que os setores afetados tenham condições mínimas de se organizar.

“Recordamos que, diferente do início da pandemia, quando o mundo buscava respostas, aprendemos muito no último ano e já dispomos de algumas conclusões. Uma delas é que são as aglomerações irresponsáveis que aceleram a propagação do vírus. Outra é  que a atividade produtiva não gera picos de contágio”, salienta o documento.

Esta defesa que vem sendo enfatizada pela CIC e CDL como argumento para a ampliação dos dias e horários de funcionamento das atividades consideradas “não essenciais”.

Na carta, são citados três motivos para alterar os protocolos já no feriado de Páscoa:

– Sem opções de locais que ofereçam atividades seguras, infelizmente a população opta pela aglomeração clandestina. Foi assim no carnaval. É o que queremos evitar na Páscoa.

– Porque as empresas possuem ambientes controlados, onde são cobrados permanentemente o uso de máscara, a higienização de mãos, o distanciamento, entre outros protocolos sanitários que reduzem a propagação do vírus.

– A permissão para o exercício das atividades seria o socorro necessário à economia, sobretudo aos setores mais afetados.

“Recordamos que o período de Páscoa é extremamente relevante para o setor empresarial, que necessita exercer regularmente suas atividades para poder cumprir suas obrigações, especialmente depois de já haver sido penalizado com medidas extremas ao longo do último ano”.

Foto: Felipe Vicari/Grupo RSCOM

Generic placeholder image
Por Felipe Vicari

há 3 semanas atrás

Compartilhar
    play_arrow
    lens

    AO VIVO | PROGRAMA

play_arrow
lens

AO VIVO | PROGRAMA

Tempo agora

Loading...
weather icon

°C

Parceiros

Slider