Alunos do interior de Carlos Barbosa utilizam máquina para fazer sabão

O interior de Carlos  Barbosa, mais uma vez, está mostrando que além de cuidar do meio ambiente, pode inovar e criar métodos para otimizar e acelerar este processo. A cooperativa Escolar União, fundada pela EMEF […]


Publicado por Felipe Vicari

há 4 meses atrás

Compartilhar

O interior de Carlos  Barbosa, mais uma vez, está mostrando que além de cuidar do meio ambiente, pode inovar e criar métodos para otimizar e acelerar este processo. A cooperativa Escolar União, fundada pela EMEF Salvador Bordini, localizada no Cinco da Boa Vista, com parceria da empresa AMB Máquinas e Ferramentas e auxílio de um engenheiro, construíram uma máquina para fazer sabão.

Na última semana, o equipamento foi apresentada com a participação do construtor e engenheiro Adonir de Almeida, juntamente com a diretora da escola Adriana Audibert, vice-prefeita Beatriz M. Bianco, secretária da educação Roneide Maria dos Santos, e coordenadora educacional Fernanda Atuatti.

O educandário, é um ponto de coleta de resíduos de óleo permanente. Com os descartes feitos pela própria comunidade, os resíduos são utilizados para a fabricação do sabão. O  que não é utilizado, acaba sendo comercializado juntamente com uma empresa coletora de óleo.

Como surgiu a ideia da máquina de sabão

Em 2006, a EMEF Salvador Bordini, iniciou um projeto chamado “Curando uma das dores do mundo”, com objetivo de recolher pilhas usadas e resíduos de óleo vegetal e animal na comunidade. Com relação as pilhas, o comércio auxiliava ao dar um destino mas e o óleo? Foi um dos questionamentos feitos pelos professores aos alunos até que, um aluno respondeu que sua avó fazia sabão. Diante disto, a escola decidiu aprender com a comunidade como fazer sabão com o resíduo de óleo vegetal e animal.

No ano de 2007, a Escola fundou a Cooperativa Escolar União, projeto fundado pela professora Luciane Sauthier Dalcin, contou com o apoio da Cooperativa Sicredi Serrana de Carlos Barbosa, com o objetivo de ensinar as crianças sobre o descarte correto dos resíduos vegetal e anima, recolhidos na comunidade. Assim, a Cooperativa Escolar União, produziu sabão por mais de 10 anos.

Em 2017, a diretora atual da Escola, Adriana Basso Audibert, assumiu como professora Coordenadora da Cooperativa Escolar União. No mesmo ano, Adriana conheceu Adonir de Almeida, proprietário da AMB Máquinas e Ferramentas. Em uma de suas conversas, Adriana perguntou se o empresário já havia pensado em fazer uma máquina para fabricar sabão. Adonir, como pai de alunos da Escola, disse que conhecia o processo de fabricação.

Então, no ano de 2018, Adonir foi até a Escola, onde a coordenadora Adriana e os alunos do 9° ano o explicaram detalhadamente sobre o processo de fabricação do sabão além de ter sido discutido como este processo poderia se tornar automatizado. Adonir se empolgou com o projeto, conseguiu um engenheiro para auxiliar e foi assim que, juntamente com a professora Adriana e os alunos do 9° ano, iniciaram o projeto da máquina para fazer sabão.

Fotos: Divulgação

Generic placeholder image
Por Felipe Vicari

há 4 meses atrás

Compartilhar
    play_arrow
    lens

    AO VIVO | PROGRAMA

play_arrow
lens

AO VIVO | PROGRAMA

Tempo agora

Loading...
weather icon

°C

Parceiros

previous arrow
next arrow
Slider